segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Democracia Corinthiana





No meio de uma estrutura falida e conservadora, um clube brasileiro consegue alterar as regras do jogo. Não em títulos, mas em condições dignas de trabalho baseadas no diálogo e no respeito.

Através de decisões coletivas, o grupo reparte igualmente responsabilidades e cumplicidades. Alcança visibilidade e a capacidade de provocar a reflexão numa sociedade que ainda luta contra a opressão da ditadura militar. O futebol, taxado de alienante, é agora mobilizador social e ergue a bandeira da democracia. Uma Democracia Corinthiana!

Homenagem ao Sócrates, o capitão da democracia corinthiana (1954-2011).

1 comentário: