sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Greve Geral (VII) - Mais depressa se apanha um mentiroso...



Hoje de manhã, na Antena 1, Miguel Macedo, Ministro da Administração Interna, garantiu que não havia polícias inflitrados na manifestação de ontem. Mentiu. Para além dos relatos de pessoas que lá estiveram e viram elementos à paisana a proibir fotografias, há outros que afirmam haver elementos que estavam na manifestação apenas para provocar distúrbios. Há fortes suspeitas de que o incidente que se tornou a notícia principal dos telejornais tenha sido instigado por um infiltrado, alguém que, assim que foram derrubadas as barreiras, passou do lado dos manifestantes para o dos polícias fardados. E depois há este vídeo, de um outro infiltrado a sacar de um cassetete e a espancar brutalmente um manifestante que entretanto tinha sido preso por outros polícias à paisana. O polícia que acabou por ir parar ao hospital estava neste último grupo e tudo indica que terá sido ferido pelo seu próprio colega - vê-se isso no vídeo.
Os sinais são evidentes: o único ministério que viu o seu orçamento reforçado foi o da Administração Interna; regularmente, saem notícias para os jornais referindo "grupos anarquistas" que ninguém sabe quem são e que acabam, estranhamente, por nunca aparecer nestas manifestações; e começam a tornar-se regra hábitos de vigilância que Portugal não via desde o tempo da PIDE e dos seus bufos. Pior do que a mentira descarada do Governo, é o destino da nossa democracia. Os seis meses de suspensão pedidos por Manuela Ferreira Leite podem vir a tornar-se reais. E mais prolongados. Quem se preocupa?

Post replicado do Arrastão

Sem comentários:

Enviar um comentário