sexta-feira, 30 de abril de 2010

quarta-feira, 28 de abril de 2010

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Humor Inglês

O Foreign Office, ministério britânico dos Negócios Estrangeiros, apresentou desculpas ao Vaticano, na sequência da divulgação de um documento oficial em que se aconselhava o Papa a lançar a sua própria marca de preservativos, Benedict, abençoar um casamento homossexual e inaugurar uma clínica de aborto, por ocasião da visita ao Reino Unido, agendada para Setembro.

Numa alusão aos escândalos de pedofilia envolvendo padres, o memorando divulgado pelo jornal "Sunday Telegraph" defendia também que o Papa inaugurasse uma linha SOS para crianças violentadas. Uma nota que acompanha o texto assume que algumas das ideias são “exageradas”. A proposta de Bento XVI cantar em dueto com a Rainha Isabel e de um pedido de desculpas pelo envio da Armada Invencível estão na lista.

As ideias terão sido lançadas num brainstorm de jovens funcionários governamentais, numa fase inicial da preparação da visita. Fonte oficial disse à BBC que a intenção seria reunir ideias criativas, mas que “a brincadeira foi longe de mais”.

O texto, que faria parte de um memorando datado de 5 de Março, terá circulado no gabinete do primeiro-ministro e no Foreign Office. O ministério referiu que foi retirado de circulação logo que responsáveis séniores tomaram conhecimento da sua existência.

Resto da noticia do Público aqui.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Gaza


Familiares de presos palestinos em prisões israelitas protestam em Gaza.
Fotografia: MAHMUD HAMS / afp

Yo pisaré las calles nuevamente

"Yo pisaré las calles nuevamente” – Pablo Milanés

As greves de fome que não são noticia !

"La huelga de hambre de 7000 presos palestinos en cárceles israelíes no es noticia"
El día 7 de este mes, la agencia de noticias EFE envió a los media-mass uno de sus comunicados. En él se informaba de que 7000 presos palestinos comenzaron este miércoles una huelga de hambre indefinida para presionar al servicio de prisiones israelí a fin de que mejore su situación entre rejas, además de pedir al gobierno israelí que “cese de humillar” a sus familias en puestos de control y puertas de acceso a prisiones. Los presos también exigen que se permita a centenares de familiares de Cisjordania, Jerusalén Este y árabes con ciudadanía israelí visitar a sus parientes encarcelados y que no han podido hacerlo porque Israel arguye razones de seguridad, entre otras demandas.
Fonte: Tercera Información e Publico.es

O estado laíco, o Papa e a austeridade !

A tolerância de ponto à Função Pública durante a visita do Papa a Portugal, em Maio, custará alguns milhões de euros, garantiu à TSF o especialista Luís Bento, antigo consultor do Banco Mundial.
Fonte: TSF

Haiti: Cuba x EUA


domingo, 11 de abril de 2010

Chimamanda Adichie: o perigo de uma única história


As nossas vidas, as nossas culturas são compostas de muitas histórias sobrepostas. A escritora Chimamanda Adichie conta a história de como ela encontrou sua autêntica voz cultural - e adverte-nos que se ouvimos somente uma única história sobre uma outra pessoa ou país, corremos o risco de gerar grandes mal-entendidos.

Clique em "view subtitles" e seleccione "português" para obter o filme legendado.

Cidinha Campos, a voz da luta contra a corrupção no Brasil

quinta-feira, 8 de abril de 2010

"Pare, Escute, Olhe", de Jorge Pelicano

"Pare, Escute, Olhe" retrata uma região transmontana despovoada, vítima de promessas políticas não cumpridas. Na linha ferroviária do Tua, o comboio viaja para uma morte iminente. Em nome da progresso, a construção da barragem de Foz-Tua, ameaça submergir um património único que faz parte da identidade transmontana. "Pare, Escute, Olhe", realizado por Jorge Pelicano, venceu seis prémios nacionais, incluindo Melhor Documentário Português no DocLisboa 2009 e o Grande Prémio do Ambiente no CineEco 2009 em Seia.

A partir de 8 de Abril está nas salas dos cinemas de Lisboa e Porto.

Do you believe?

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Collateral Murder

Um vídeo secreto colocado no site da ONG Wikileaks mostra um helicóptero do exército norte-americano no Iraque a disparar contra um fotógrafo da Reuters e o seu motorista em Junho de 2007. Nesta operação de rotina, em poucos minutos foram assassinados 12 civis em Bagdad.

Resto da noticia no Público aqui.

Critérios Jornalisticos

Só durante o mês de Março, foram assassinados cinco jornalistas nas Honduras. Tudo isto se passou num país da América central onde o presidente legitimamente eleito Manuel Zelaya, foi deposto por um golpe militar em 2009. Este golpe militar foi condenado por quase toda a comunidade internacional. Da parte dos EUA houve declarações ambíguas e total descomprometimento nas soluções que ao longo de meses foram sendo avançadas para o problema gerado.

Apesar do golpe militar nunca ter sido declaradamente apoiado pelos EUA, sabe-se pelos desenvolvimentos dos acontecimentos, que os interesses norte-americanos foram salvaguardados no fim de Novembro, com a eleição de um novo presidente, herdeiro directo do regime militar imposto numa forjada eleição presidencial em que Manuel Zelaya não se pode candidatar e que se realizou em Novembro de 2009.

Para quem esteve atento às noticias difundidas, amplificadas e repetidas até à exaustão, pelos media do costume, do que se passou (ou se quis dar a ideia de que passou) em Cuba no mês de Março, não deixa de ser esclarecedor, o facto destes 5 assassinatos não terem tido qualquer destaque nas nossas televisões e jornais.

Todos se lembraram da forte campanha mediática contra cuba em curso, realizada em torno do suposto preso politico Orlando Zapata, que faleceu na sequência de uma polémica greve de fome (85 dias !!, talvez seja um novo recorde do Guiness Book) ou da suposta repressão às marchas sempre permitidas das inenarráveis Damas de Blanco em Havana. Sem esquecer a 24º tentativa de greve de fome do até ao momento, incompetente para o conseguir, Guillermo Fariñas.

Para que conste, os 5 jornalistas assassinados foram: José Bayardo Mairena, de 52 anos, Manuel de Jesús Juárez, de 55 anos que receberam 13 balas cada um. Também foram assassinados Joseph Ochoa, de 26 anos, David Meza, de 51 anos e Nahún Palacios, de 36 anos.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Joe Sacco

Colleagues laughed when a young journalist in Palestine announced his intention to tell the story of that region though cartoons. Twenty years later, Joe Sacco is one of the world's leading exponents of the graphic novel form…


"Footnotes in Gaza"
by Joe Sacco

Footnotes in Gaza, his new book and his first long narrative for six years, returns Sacco to Palestine and, being rooted as much in the past as in the present, is perhaps his most ambitious work to date. But why go back? Aren't there plenty of crises to report elsewhere?

He shrugs. All he knows is that, a few years ago, he felt a fresh "compulsion" to write about Gaza; events in the territory had left him feeling "agitated". So in 2001, he and journalist Chris Hedges travelled there on assignment for Harper's magazine. The idea was that they would go to one city and focus on its history alone. Sacco suggested Khan Younis. In the back of his mind, he dimly remembered something he had read in Noam Chomsky's book, The Fateful Triangle, about an incident during the Suez crisis in 1956 in which a large number of Palestinian refugees were killed by Israeli soldiers.

"We asked around, people confirmed the story, and we thought it important for the history of the town," says Sacco. "But when Chris's piece was published, they cut Khan Younis out. Well, that further agitated me. I know the big picture is important but the big picture is made up of a lot of smaller things. It's a shame when those things get lost. It seems… unfair. I wanted to look at it myself. According to the UN, 275 people died in Khan Younis: why did that figure deserve to return to obscurity?"